sábado, 18 de agosto de 2018

"Mas chega uma hora na vida



(...) que a gente tem que parar de ser boa com os outros e ser boa primeiramente com a gente. Fiquei amarga? Não mesmo. Agora eu sou prática. Vacilou? A porta está aberta, meu bem. Sem dó nem piedade. Me desculpem, então, os que larguei à deriva. Salve-se quem puder!"

sexta-feira, 17 de agosto de 2018

"Ontem chorei.


(...) Por tudo que fomos. Por tudo o que não conseguimos ser. Por tudo que se perdeu. Por termos nos perdido. Pelo que queríamos que fosse e não foi. Pela renúncia. Por valores não dados. Por erros cometidos. Acertos não comemorados. Palavras dissipadas. Versos brancos. Chorei pela guerra cotidiana. Pelas tentativas de sobrevivência. Pelos apelos de paz não atendidos. Pelo amor derramado. Pelo amor ofendido e aprisionado. Pelo amor perdido. Pelo respeito empoeirado em cima da estante. Pelo carinho esquecido junto das cartas envelhecidas no guarda- roupa. Pelos sonhos desafinados, estremecidos e adiados. Pela culpa. Toda a culpa. Minha. Sua. Nossa culpa. Por tudo que foi e voou. E não volta mais, pois que hoje é já outro dia. Chorei. Apronto agora os meus pés na estrada. Ponho-me a caminhar sob sol e vento. Vou ali ser feliz e já volto."

quinta-feira, 16 de agosto de 2018

"Não conseguia entender o que tinha acontecido com a minha vida.


Tinha perdido a elegância. Tinha perdido a mundanidade. Tinha perdido a concha protetora. Tinha perdido o senso de humor diante dos problemas alheios. Queria tudo de volta. Queria que as coisas corressem mansas pra mim. De algum jeito, eu sabia que isso não ia mais acontecer, pelo menos não tão logo. Eu estava fadado a me sentir culpado e desprotegido."

quarta-feira, 15 de agosto de 2018

"(...) amor não é tudo;


(...) até é, enquanto se está amando, mas para viver uma paixão, é preciso renunciar à própria vida, uma opção perigosa que não costuma ser eterna."

segunda-feira, 30 de julho de 2018

"Eu gostava tanto de você.


(...) De seu jeito de falar manso. Da maneira como as palavras que saíam da sua boca dançavam alucinadas no meu ouvido. Da forma como as suas mãos sempre quentes tocavam o meu corpo. Do seu olhar que me arrepiava por dentro e por fora. E que fazia com que com que eu me sentisse a pessoa mais especial do universo inteirinho. Era isso: Você fazia com que eu me sentisse diferente de todas as outras."

sexta-feira, 27 de julho de 2018

"Se não está quebrado, não conserte.


(...) Essa fala é verdadeira tanto para o corpo humano quanto para uma máquina de lavar ou um liquidificador. É difícil admitir quando se está errado, mas mesmo que tudo pareça bem, há um problema. Alguma coisa está quebrada e você precisa ver onde está quebrado e consertar isso, ou tudo irá desabar."

quinta-feira, 26 de julho de 2018

"Só que,


(...) repetiu devagar para dentro, não se conserta uma pessoa como se conserta uma casa."


quinta-feira, 19 de julho de 2018

"Amor.


(...) A neurociência noz diz que ele ativa as mesmas partes do cérebro que um vício habitual. Faz com que nos sentíssemos como como se pudéssemos fazer qualquer coisa, ser qualquer coisa, alcançar qualquer coisa. E uma vez que experimentamos… Nós queremos mais. O problema sobre o amor é que, quando é bom, é muito bom. E quando é ruim, machuca muito. E se você não consegue achar uma forma de balancear todos esses altos e baixos… Vai te deixar louco."

sexta-feira, 13 de julho de 2018

"O amor não acaba.


(...) O amor apenas sai do centro das nossas atenções. O tempo desenvolve nossas defesas, nos oferece outras possibilidades e a gente avança porque é da natureza humana avançar. Não é o sentimento que se esgota, somos nós que ficamos esgotados de sofrer, ou esgotados de esperar, ou esgotados da mesmice. Paixão termina, amor não. Amor é aquilo que a gente deixa ocupar todos os nossos espaços, enquanto for bem-vindo, e que transferimos para o quartinho dos fundos quando não funciona mais, mas que nunca expulsamos definitivamente de casa."

terça-feira, 10 de julho de 2018

"Você não queria ser capaz de voltar atrás naquilo que disse, naquilo que fez?


(...) Não existe um botão de desfazer. Há apenas a esperança de que possamos aprender, mudar. Certo? Podemos fazer melhor. Não podemos voltar atrás no que fizemos. Não podemos desfazer o passado. Porque o futuro continua chegando. É melhor deixar o passado para trás. Seguir em frente. Aprender com ele. Se não aprendermos com nossos erros, vamos acabar em um futuro que não escolhemos. O passado foi escrito. Não tem como mudar. O que foi feito está feito."

segunda-feira, 9 de julho de 2018

"Congelante. Chocante. Com a língua amarrada.


(...) Isso é o que podemos chamar quando a sua mente vai de brilhante a vazia. Você pode preparar tudo que quiser, mas o sentimento ainda pode te atingir, em qualquer lugar. Então, quando isso te atingir, sua mente se fechar, quando você abrir a sua boca e nenhuma palavra sair, a boa notícia é, isso acontece com todos nós. Congelante. Chocante. Com a língua amarrada. Existe uma razão porque isso acontece. Nós perdemos as palavras porque as apostas são altas e temos muito a perder. Nós ficamos petrificados de falar muito ou falar algo errado, quando a verdade é a única coisa errada que poderíamos dizer e ao mesmo tempo não significa nada."

"Há um ditado que ouvimos nos hospitais:


‘A dor é inevitável. Sofrer é opcional.’ Mas eu duvido que as pessoas que difundem isso já tenham passado por uma grande cirurgia. Talvez eles não se refiram a dor física. Talvez estejam se referindo a outro tipo, o pior tipo. Talvez eles estejam dizendo sobre o tipo de dor que seca, que faz fervilhar e que te diz que você falhou e é uma fraude. Sofrimento é opcional. Essa pessoa não sabe a besteira que está falando. Como cirurgiã, nós tentamos eliminar a dor. Como humanos, nós tentamos o máximo evitá-la. Quando não conseguimos evitar a dor, nós tentamos entender com pequenas citações que envolvem nossas cabeças, como ‘sofrer é opcional’, ou ‘o tempo cura todas as feridas’. E a minha favorita, ‘toda dor tem um propósito’. Deus, eu espero que essa ai seja verdadeira."

segunda-feira, 2 de julho de 2018

"Em retrospectiva, as coisas sempre parecem óbvias.


(...) É fácil descobrir o que deveria ter feito, quando você repensa. Você vê os seus erros, sabe como corrigi-los. Isso é o pior, não é?"

quinta-feira, 28 de junho de 2018

"Todos nos lembramos das historinhas de nossa infância:


(...) o sapato serve na Cinderela, o sapo vira um príncipe, a Bela Adormecida é acordada por um beijo… Era uma vez… e eles viveram felizes para sempre. Contos de Fadas – é do que sonhos são feitos. O problema é que contos de fadas não se tornam realidade. São as outras histórias, as que começam com noites sombrias e tempestuosas, que terminam de formas indescritíveis… Sempre são os pesadelos que parecem se tornar realidade… A pessoa que inventou a frase “felizes para sempre” deveria tomar uma surra daquelas."

quarta-feira, 27 de junho de 2018

"A curiosidade matou o gato.


(...) Também matou vários gregos antigos quando Pandora teimou em abrir aquela caixa cheia de morte, pestes e coisas do tipo. Por que temos de saber o que está atrás da porta número 3, mesmo quando estamos quase certos de que aquilo fará mal a nós? Coloque-se no lugar de Pandora. Ela ganhou um presente, uma caixa maravilhosa, cheia de coisas de cuja existência ela nunca soubera. É óbvio que ela abriria. Você não?"