quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

"Notas sobre ela:


Ela adora viajar
e adora ficar sozinha
pelo mesmo motivo
ama lugares novos
lugares novos no mundo
e lugares novos dentro de si."

terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

“Cometa bobagens.


(...) Não pense demais porque o pensamento já mudou assim que se pensou. O que acontece normalmente, encaixado, sem arestas, não é lembrado. Ninguém lembra do que foi normal. Lembramos do porre, do fora, do desaforo, dos enganos, das cenas patéticas em que nos declaramos em público. Cometa bobagens. Dispute uma corrida com o silêncio. Não há anjo a salvar os ouvidos, não há semideus a cerrar a boca para que o seu futuro do passado não seja ressentimento. Demita o guarda-chuva, desafie a timidez, converse mais do que o permitido, coma melancia e vá tomar banho de rio. Mexa as chaves no bolso para despertar uma porta. Cometa bobagens. Não compre manual para criar os filhos, para prender o gozo, para despistar os fantasmas. Não existe manual que ensine a cometer bobagens. Não seja sério; a seriedade é duvidosa; seja alegre; a alegria é interrogativa. Quem ri não devolve o ar que respira. Não atravesse o corpo na faixa de segurança. Grite para o vizinho que você não suporta mais não ser incomodado. Use roupas com alguma lembrança. Use a memória das roupas mais do que as próprias roupas. Desista da agenda, dos papéis amarelos, de qualquer informação que não seja um bilhete de trem. Procure falar o que não vem à cabeça. Cantarolar uma música ainda sem letra. Deixe varrerem seus pés, case sem namorar, namore sem casar. Seja imprudente porque, quando se anda em linha reta, não há histórias para contar. Leve uma árvore para passear. Chore nos filmes babacas, durma nos filmes sérios. Não espere as segundas intenções para chegar às primeiras. Não diga “eu sei, eu sei”, quando nem ouviu direito. Almoce sozinho para sentir saudades do que não foi servido em sua vida. Ligue sem motivo para o amigo, leia o livro sem procurar coerência, ame sem pedir contrato, esqueça de ser o que os outros esperam para ser os outros em você. Transforme o sapato em um barco, ponha-o na água com a sua foto dentro. Não arrume a casa na segunda-feira. Não sofra com o fim do domingo. Alterne a respiração com um beijo. Volte tarde. Dispense o casaco para se gripar. Solte palavrão para valorizar depois cada palavra de afeto. Complique o que é muito simples. Conte uma piada sem rir antes. Não chore para chantagear. Cometa bobagens. Ninguém lembra do que foi normal. Que as suas lembranças não sejam o que ficou por dizer. É preferível a coragem da mentira à covardia da verdade.

sábado, 10 de fevereiro de 2018


"Vou querer namorar? Não. Vou querer casar? Não. Vou querer pra pai dos filhos? Não. Então deixa pra lá que já tô velha pra essa palhaçada."

quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018

"Porque na realidade, eu estava sentindo falta do que eu sou.




(...) Estava sentindo falta de momentos, dessas palavras que demonstraram por muito tempo os meus sentimentos, de todos os ‘eu te amo’ que eu já ouvi - por mais falso que foi - eu estava sentindo falta dessa pessoa que eu sou, que eu me tornei. Eu, por muito tempo, que passar a maior parte do tempo, longe de mim, longe das pessoas, longe de tudo, mas no final isso não adianta não é mesmo? Pois é, por um tempo eu estive tentando fazer com que a minha rotina não fosse tão tediosa, ou qualquer coisa, do tipo. Porque chega uma hora que você cansa. Não cansa só das coisas que acontecem, ou das pessoas que estão na sua vida - ou até mesmo das que estão de passagem -, chega uma hora que você cansa de você. E eu estive lutando pra que isso não acontecesse comigo sabe? Só queria que alguém soubesse do meu esforço… e me entendesse."



sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018


"Sobre as ondas do mar, sobre as águas na areia, minha força é do mar, minha mãe é sereia..."

Viva Iemanjá, Rainha do Mar

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

"Ao nascer você dividirá seu aniversário com mais de 17 milhões de pessoas.



(...) Durante seus 10 anos na escola você terá uma média de 17 amigos, quando chegar aos 40 anos esse número terá diminuído para 2. Em seu corpo crescerão 950 km de pêlo. Você rirá uma média de 18 vezes por dia, e andará o equivalente a 3 voltas ao mundo, comerá 30 toneladas de comida. Beberá mais de 9 mil xícaras de café, e terá uma oportunidade em dez de ser eletrocutado. Em média você passará 10 anos de sua vida no trabalho, 20 anos dormindo, 3 anos sentado no vaso sanitário, 7 meses esperando no trânsito e 2 meses e meio esperando no telefone. Passará 12 anos assistindo televisão e 19 dias procurando o controle remoto, após oque só lhe resta um quinto de sua vida pra ser vivida, portanto é melhor começar logo!"

terça-feira, 12 de dezembro de 2017

"Me perdoe


(...) pelos meus mil anos à frente dos nossos segundos e pela saudade melancólica que eu senti o tempo todo mesmo sendo nossos primeiros momentos. Pelo retesamento na hora de entregar. Pela maneira como eu grito e culpo quem tiver perto por uma angustia que sempre foi e será só minha e que eu sempre suporto mas quando sinto amor fico achando que posso distribuí-la um pouco, mesmo sabendo que é fatal. Me desculpe por eu ter querido tanto ficar bonita e perfeita e só ter conseguido olheiras e ossos. Me perdoe pelas vezes que de tanto querer leveza acabei pesando a mão. De tanto querer sentir, pensei sobre como estava sentindo, e perdi o sentimento."

sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

Do que se admira.



"As pessoas viajam para admirar a altura das montanhas, as imensas ondas dos mares, o longo percurso dos rios, o vasto domínio do oceano, o movimento circular das estrelas, e no entanto elas passam por si mesmas sem se admirarem..."

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

"Cazuza ainda dizia,


(...) lá no meio dos versos, que pega mal sofrer. Pois é, pega mal. Melhor sair pra balada, melhor forçar um sorriso, melhor dizer que está tudo bem, melhor desamarrar a cara. “Não quero te ver triste assim”, sussurrava Roberto Carlos em meio a outra música. Todos cantam a tristeza, mas poucos a enfrentam de fato."